Quem é Quem

Dotz

O louco idealizador dessa empreitada.

Desde muito cedo, o DOTZ já sabia que teria uma motocicleta Harley-Davidson.

Muito curioso, sempre foi aficcionado por mecânica e desmontava tudo o que caia em suas mãos.

Começou a trabalhar com mecânica em 1989, ja foi professor de mecânica de motos, no SENAI.

Atualmente, além de proprietário e técnico em operação de dinamômetro e afinação de motocicletas na DOTZ ALLEY é betatester de produtos de performance de alguns fabricantes americanos.

Em 2015 foi dar aula de Injeção Eletrônica no Canada. Em março de 2017, foi ministrar palestra, para uma plateia fechada, no auditório do Autodromo de Daytona, durante a Bike Week.

Possui uma Dyna Custom, totalmente customizada, com mais de 115hps, na roda.

Wagner

Nosso colaborador mais antigo, se juntou ao time em 2012, não trabalhava, profissionalmente, com motocicletas, mas tinha habilidade para mecânica e muita força de vontade para aprender. Hoje tem uma Blackline, customizada com maestria.

 Atualmente, é o responsável pela reparação da parte elétrica, entre outros serviços, sendo o responsável pela oficina, quando o DOTZ precisa se ausentar. 

AFINAÇÃO

O grande problemas das nossas motos, é que elas vêm com o programa de gerenciamento da Injeção Eletrônica, muito “restrito”, para que elas sejam  homologadas nas normas de emissões de gases. Ou seja, nossas motos usam uma mistura de ar/combustível muito pobre (com pouco combustível), isso faz com elas passem nos programas de emissões brasileiros, mas fiquem horríveis para rodar no nosso pais tropical. A tendência é sempre piorar, cada vez que colocamos algum acessório legal (filtros, escapes, etc). Porém, este não é um problema somente nosso, sendo que, o mercado Americano desenvolveu produtos que podem ajudar ou solucionar esses problemas.

 

Abaixo, irei explicar sobre os “enganadores/enriquecedores" e os "tuners" para Injeção Eletrônica:

O que eu chamo de "enganadores": são equipamentos, limitados, à apenas aumentar a quantidade de combustível que vai para cada cilindro, o que ajuda a reduzir a temperatura de funcionamento da motocicleta. Eles fazem isso "enganando" o módulo e enviando sinais simulados para a injeção original. Estes equipamentos ficam instalados, na motocicleta, pois sem eles, ela volta ao original.

Vantagem: na maioria dos casos, eles não vinculam com a moto, ou seja, podem ser retirados e utilizados em outras motocicletas, que possuam o mesmo sistema de injeção;

 Desvantagem: por enganarem a injeção eletrônica da moto, são paliativos que no geral, deixam a desejar e não conseguem regular corretamente a motocicleta. Eles ficam ligados fisicamente à motocicleta, o que gera maus contatos nas ligações e pode apresentar problemas no funcionamento da motocicleta. Fora o preço que é muito alto, pelo que eles deixam de fazer;

Exemplos: Cobra, Power Comander, Fuel Pack.

 

Já os "Tuners" (afinadores) de Injeção: e aqui é onde eu estou em casa, são sistemas que modificam o Mapa da Injeção Eletrônica, para que o novo mapa seja o ideal para sua motocicleta e para os acessórios que ela possui, escape, filtro, comando de válvulas esportivos, por exemplo.

Vantagem: regula corretamente o sistema de injeção da moto, ou seja, gera um mapa perfeito para cada motocicleta. Isso permite que a moto rode mais fria, melhore o consumo e tenha o melhor desempenho possível;

Desvantagem: todos vinculam ao modulo da motocicleta, ou seja, não podem ser reutilizados em outras motos, mesmo que esta use o mesmo sistema de injeção. O custo é um pouco maior, porém, devido às adequações que eles nos permitem fazer, esse investimento é facilmente amortizado.

Exemplos:  Mastertune, FP3, Power Vision, entre outros .

 
 
DINAMÔMETRO

Até há bem pouco tempo, um dinamômetro era um instrumento de difícil acesso para a maioria dos proprietários de automóveis e de motocicletas.

 

A primeira vez que um aparelho deste tipo apareceu na técnica de engenharia foi em 1719 - pela necessidade óbvia que as máquinas a vapor criaram. Com o passar do tempo, foram evoluindo e ficando cada vez mais necessários para que os motores aumentassem cada vez mais sua eficiência, não só em termos de potência, mas, também, em termos de eficiência energética e, mais recentemente, também para garantir que os motores se tornassem mais limpos e eficientes.

 

A indústria automobilística tem no dinamômetro, talvez, a sua mais importante ferramenta para auxílio no desenvolvimento de motores.

 

Você pode estar pensando que, uma vez desenvolvido o motor de seu veículo, um dinamômetro tem pouca utilidade em sua vida. Mas não é bem assim.

 

Atualmente, as Injeções Eletrônicas estão cada vez mais sofisticadas, e por isso, um dinamômetro é essencial para você e sua motocicleta ou carro.

 

Sofisticação exige controle, e o dinamômetro encaixa-se perfeitamente nesse cenário.

 

Apesar de sua moto sair de fábrica bem regulada, esta regulagem é apenas razoável, definida em função do piloto mediano. Além disto significa que o motor de sua moto está funcionando bem abaixo do ideal, assim, o proprietário pode não estar aproveitando seu veículo, como poderia, seja para um desempenho mais esportivo, mais econômico, mais frio, etc.

 

Um motor melhor adaptado às exigências de seu piloto irá ter maior durabilidade, desempenho, confiabilidade e, claro, irá proporcionar maior prazer a ele. Você pode querer mais torque ou mais potência em determinado regime de giros, pode querer que o motor funcione de maneira mais suave ou mais brusca, etc.

 

Fora isto, com as exigências de emissões de gases, a mistura ar/combustível, utilizada pelas montadoras, esta cada vez mais “pobre" e os motores passaram a esquentar muito, o que compromete sua durabilidade e confiabilidade e, claro, o conforto do piloto.

 

Por tudo isto, a utilização do dinamômetro permite auxilia na correção, com grande precisão, de problemas de funcionamento da motocicleta, além do diagnóstico rápido de problemas de operação de seu sistemas.

 

Pouquíssimas oficinas, no Brasil, têm à sua disposição um dinamômetro e menos ainda, possuem profissionais habilitados a operá-los, com proficiência. 

 

E nós da DOTZ ALLEY estamos neste seleto grupo, podendo ajudar aos nossos clientes com nossos serviços e conhecimento.

 

HISTÓRIA

Apaixonado por mecânica, desde muito novo o DOTZ, já tinha um fascínio especial pelas motocicletas da marca Harley-Davidson.

 

A DOTZ ALLEY (anteriormente RIDE`n`ROLL garage) nasceu na garagem do prédio do DOTZ, onde ele fazia as revisões das motos de amigos, nos finais de semana.

 

O conceito era atender os clientes sem dedos, informando o que tinha de ser informado, mas procurando soluções com o melhor custo beneficio possível.

 

A DOTZ Alley foi aberta em outubro de 2010, na garagem da casa, do DOTZ (ele não morava mais no prédio), permanecendo ali, por 8 meses, quando, devido ao aumento de clientes, a oficina, passa para um endereço exclusivo, na Av Lins de Vasconcelos - Vila Mariana, Sao Paulo. 

 

Após 1 ano em meio, a oficina se muda novamente, desta vez para o Bairro Mirandopolis, na Av Senador Casemiro da Rocha, com ainda mais espaço, a inclusão de novas ferramentas e do Dinamometro.

 

Sempre em evolução, a DOTZ ALLEY é uma referencia nacional quando se fala em motocicletas Harley-Davidson.

 
MANUTENÇÕES

Na revisão de nível III, verificaremos:


- Reaperto geral da moto, necessário a cada 8 mil km;

- Substituição do fluído da suspensão dianteira;
- Engraxamento da caixa de direção e ajuste de sua folga;
- Substituição do óleo do motor, filtro de óleo, caixa de marchas, transmissão primária e fluido de freio dianteiro e traseiro e fluído de embreagem (Quando houver);

- Substituição do líquido de arrefecimento (Quando houver);

- Inspeção da parte elétrica (aperto dos bornes da bateria, condição geral do chicote elétrico, plugs, luzes, etc)
- Ajuste do Belt traseiro (correia secundária);

- Verificação das pastilhas de freio;

- Descarbonização do corpo de injeção;

- Limpeza do bloco ótico do farol;

- Verificação dos rolamentos de ;

- Limpeza, ajuste e lubrificação de todos os cabos de comando (embreagem, acelerador e retorno); 
- Verificação e limpeza do filtro de ar e das velas de ignição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na revisão de nível II, verificaremos:


- Reaperto geral da moto, necessário a cada 8 mil km;

- Ajuste da folga da caixa de direção;
- Troca do óleo do motor, filtro de óleo, caixa de marchas, transmissão e fluido de freio dianteiro e traseiro;
- Inspeção da parte elétrica (aperto dos bornes da bateria, condição geral do chicote elétrico, plugs, luzes, etc)
- Ajuste do Belt traseiro (correia secundária);
- Limpeza, ajuste e lubrificação de todos os cabos de comando (embreagem, acelerador e retorno); 
- Verificação e limpeza do filtro de ar e das velas de ignição.

 

 

 

 

Na revisão de nível I, verificaremos:


- Reaperto geral da moto;

- Troca do óleo do motor, filtro de óleo, caixa de marchas, transmissão;
- Inspeção do sistema de carga e iluminação (aperto dos bornes da bateria e luzes)
- Ajuste do Belt traseiro (correia secundária);
- Limpeza, ajuste e lubrificação de todos os cabos de comando (embreagem, acelerador e retorno); 
- Verificação e limpeza do filtro de ar e das velas de ignição.

 
 
 

PARCEIROS

Fazemos importação de peças e acessórios para sua moto

Av. Senador Casemiro da Rocha, 622
Bairro Mirandópolis - São Paulo, SP

04047-001

Tel: (11) 2628-7940

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon

© 2017 por Dotz Alley. 

IMG_1077